foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo - 31 Anos ao Serviço da Região

Cumpra as Normas da DGS / Proteja-se Por Si e Pelos Outros

Portalegre:Presidente da distrital do PSD acusa socialistas de criticas avulsas de cunho eleitoralista

O presidente da distrital de Portalegre do PSD, Armando Varela, acusou hoje o PS de fazer “críticas avulsas, dizer uma coisa em Elvas e outra em Portalegre, para agradar a uns e a outros”, e tudo prometer por ser ano de eleições”.

Armando Varela, reagia às críticas do presidente da Federação distrital de Portalegre do PS, Luís Testa, que acusou o PSD de ser “inútil” para a região, depois da maioria PSD/CDS-PP, na Assembleia da República, ter chumbado a reclassificação do Serviço de Urgência Básica para Urgência Médico-cirúrgica do hospital de Santa Luzia, em Elvas

Defendendo que os habitantes dos concelhos de Alandroal, Borba e Vila Viçosa, no distrito de Évora, devem fazer parte da Rede de Referenciação do Hospital de Santa Luzia, tal como os residentes no concelho de Gavião deviam ser encaminhados para o hospital de Abrantes, Armando Varela considera que os dois hospitais, em Portalegre e em Elvas, que integram a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), “devem ser complementares e não concorrentes”.

O social democrata admitiu ainda que a distrital “laranja” gostaria que a capacidade de intervenção dos dois hospitais da ULSNA fosse reforçada, e que houvesse Urgência Médico-cirúrgica, em Elvas, e Urgência Polivalente, em Portalegre, argumentando que o caminho mais rápido para justificar o aumento da capacidade das duas unidades hospitalares é sobretudo criar condições para gerar emprego e potenciar investimento privado e público ligado à componente económica.

Para Armando Varela “os hospitais de Portalegre e de Elvas têm condições para ter mais valências, aquilo que lhes falta são utentes”.

Lamentando que “o PS nada tenha feito para resolver este assunto entre os anos de 2007 a 2011”, o social democrata, acusa os socialistas de fazerem “criticas avulsas”, “dizerem uma coisa em Elvas e outra em Portalegre, para agradar a uns e a outros”, e de “tudo prometerem por ser ano de eleições”.

O presidente da distrital “laranja” mostrou-se ainda desgostoso pelo facto de “estar a assistir ao regresso do PS de Sócrates, juntamente com a mesma receita: prometer, gastar, iludir e brincar com Portugal e como os portugueses”.

Gabriel Nunes