foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

Covid-19:Presidente da Câmara de Monforte admite “pressionar os encarregados de educação e os pais a não levarem os filhos à escola”

A imagem pode conter: 1 pessoa, fato e grande plano

(Por Gabriel Nunes) - O presidente da Câmara de Monforte admitiu hoje “pressionar os encarregados de educação e os pais a não levarem os filhos à escola” se as delegadas regionais de Saúde e de Educação do Alentejo não autorizarem a passagem para regime não presencial, de toda a atividade escolar do concelho.

 

Devido ao agravamento da situação epidemiológica da Covid-19 no concelho, a Comissão Municipal de Proteção Civil de Monforte, reunida segunda feira, deliberou por unanimidade a adoção do regime de ensino não presencial, por um período de duas semanas, que poderá ser prolongado.

Como nem o município nem a Comissão Municipal de Proteção Civil tem competência ou autoridade para aplicarem uma medida desta natureza, foi decidido colocar a mesma à consideração das delegadas regionais de Saúde e de Educação do Alentejo.

Ouvido pela Rádio Portalegre o presidente da Câmara de Monforte, Gonçalo Lagem, disse que vai aguardar “serenamente” por uma resposta das autoridades de Saúde e da Educação, mas se a mesma for desfavorável, admite “pressionar os encarregados de educação e os pais a não levarem os filhos à escola”

Gonçalo Lagem considera “um perfeito absurdo” manterem-se as escolas em funcionamento, argumentando que estamos a colocar em risco funcionários, professores e crianças.

Desde o começo da pandemia foram confirmados 170 casos de Covid-19 em Monforte, 70 dos quais encontram-se ativos, havendo ainda registo de três mortes associadas à doença.