foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

ULSNA desmente que se tenha devido à falta de assistência a morte de um idoso depois de uma espera de duas horas e meia dentro de uma ambulância no hospital de Portalegre

A imagem pode conter: texto que diz "A ULSA+ EPE UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DO NORTE ALENTEJANO"

(Por Gabriel Nunes) - A Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) desmentiu que se tenha devido “à falta de assistência” a morte de um idoso, depois de uma espera de duas horas e meia dentro de uma ambulância, para ser observado na Área Dedicada para Doentes Respiratórios (ADR) do Hospital de Portalegre.

 

Em declarações aos jornalistas, esta terça feira, a diretora clínica da ULSNA, Vera Escoto, esclareceu que o doente, de 86 anos de idade, residente num lar de Cabeço de Vide, concelho de Fronteira, foi enviado, segunda feira, para o serviço de urgências do Hospital de Portalegre, devido a uma alegada infeção respiratória.

A triagem ao paciente foi feita dentro de uma ambulância onde o mesmo permaneceu por falta de espaço em ADR, mas sempre sob vigilância médica e “estável”.

O estado de saúde do paciente acabou por se agravar depois de uma espera de duas horas e meia dentro da ambulância, tendo a médica e a enfermeira em ADR iniciado as manobras de reanimação ao idoso ainda na viatura.

A diretora clínica da ULSNA adiantou que as manobras de reanimação continuaram dentro da ADR e prolongaram-se por um período de 17 minutos, sem sucesso, tem sido certificado o óbito do paciente.

O idoso não era doente de Covid-19 mas o Lar onde residia tem vários utentes infetados com o novo coronavírus.