foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

alentejo2020

Portalegre:Presidente da Câmara responsabiliza oposição por eventual atraso na construção da Escola da GNR e acusa PS, CDU e PSD de não deixarem ajudar comerciantes e população

A imagem pode conter: 1 pessoa, grande plano

(Por Gabriel Nunes) - A presidente da Câmara de Portalegre, Adelaide Teixeira, responsabilizou a oposição PS, CDU e PSD na Assembleia Municipal por um eventual atraso na construção da nova Escola de Formação da GNR na zona industrial.

 

Em causa está o facto de a oposição ter chumbado a revisão do orçamento e grandes opções do plano, onde constava a proposta de plurianualidade, ou seja os encargos financeiros anuais, das obras de expansão da zona industrial.

De acordo com Adelaide Teixeira o lançamento do concurso público para a empreitada de construção da nova Escola de Formação da GNR, a edificar nos terrenos para onde se vai expandir a zona industrial, não é possível sem a aprovação da proposta de plurianualidade das obras de expansão.

As obras referentes à expansão da zona industrial implicam um investimento que ascende a quatro milhões de euros e tem um prazo de execução entre 18 a 24 meses.

A autarca lamentou ainda que a oposição na Assembleia Municipal tenha inviabilizado a concretização do projeto de requalificação da Rua do Comércio e largos adjacentes.

Para Adelaide Teixeira “é difícil de entender” que se chumbe um projeto já com candidatura aprovada, correndo-se o risco de perder mais de 1,1 milhões de euros.

A presidente da Câmara de Portalegre acusou ainda a oposição de não permitir ao município ajudar os comerciantes e a população do concelho.

O projeto de requalificação da Rua do Comércio e largos adjacentes implica a colocação de mobiliário urbano novo, bem como o ensombramento da rua, retirada das cablagens das fachadas dos edifícios e construção de sanitários.