foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo  - 32 Anos ao Serviço da Região

Arte Chocalheira classificada pela UNESCO Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente

A Arte Chocalheira foi classificada pela UNESCO, esta terça feira, Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente.

A decisão foi tomada às 14:20 de hoje pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), na 10.ª reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, a decorrer em Windhoek, capital da Namíbia, até sexta-feira.

Foi com “alegria e emoção até com algumas lágrimas” que o presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António José Ceia da Silva, assistiu ao anúncio da classificação da Arte Chocalheira.

Em declarações à Rádio Portalegre, Ceia da Silva disse que a classificação pela UNESCO da Arte Chocalheira é uma vitória para Portugal e em particular para o Alentejo e para os alentejanos.

Ceia da Silva sublinhou que em dois anos seguidos foram classificados pela UNESCO o cante alentejano e a arte chocalheira, um feito “inédito” para o Alentejo.

O dirigente disse ainda que está à espera de em 2017 festejar a classificação das Festas do Povo de Campo Maior Património Imaterial da Humanidade.

O fabrico de chocalhos em Portugal, ofício e manifestação cultural tem no Alentejo a sua maior expressão a nível nacional.

A vila de Alcáçovas (Viana do Alentejo) foi onde o fabrico de chocalhos mais floresceu no país, a partir do século XVIII, originando muitos mestres chocalheiros.

O fabrico de Chocalhos é o primeiro elemento português nesta lista que visa a protecção de "manifestações culturais em risco de desaparecimento, nomeadamente devido à diminuição do número de artesãos que a praticam".

Gabriel Nunes/Carla Aguiã