foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 

A RÁDIO PORTALEGRE DESEJA A TODOS BOAS FESTAS

FELIZ NATAL

(Por Gabriel Nunes) - As Festas do Povo vão voltar a florir as ruas de Campo Maior de 29 de agosto a 6 de setembro deste ano.

A imagem pode conter: 3 pessoas

(Por Gabriel Nunes) - As Festas do Povo vão voltar a florir as ruas de Campo Maior de 29 de agosto a 6 de setembro deste ano.

 

O anúncio foi feito, este domingo, no Centro Cultural de Campo Maior pela presidente da Associação das Festas do Povo.

Em conferência de imprensa Vanda Portela adiantou que a associação está preparada para dar resposta aos campomaiorenses que queiram começar já a trabalhar.

O presidente da Câmara de Campo Maior, João Muacho, por seu turno, revelou que já se encontram inscritas 70 ruas e troços, um número superior ao registado aquando do anúncio das últimas festas, em 2015.

João Muacho sublinhou ainda que as Festas do Povo, também conhecidas como Festas das Flores, são "uma afirmação das gentes campomaiorenses que querem mais uma vez mostrar ao país e ao mundo a sua arte de fazer florir o papel".

Também em conferência de imprensa o presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo, Ceia da Silva, deixou a garantia de que as Festas do Povo vão receber "o selo" da UNESCO, em 2021, de Património Imaterial da Humanidade.

Para Ceia da Silva as Festas do Povo são "o maior evento do Alentejo e um dos melhores do país, com expressão nacional e internacional e com uma dinâmica económica enorme".

Entusiasta das Festas do Povo o Comendador Rui Nabeiro começou por esclarecer que as gentes campomaiorenses "não vivem para as festas, mas vivem numa terra que permite que hajam festas".

O patrão da Delta lembrou ainda tempos idos em que as festas foram determinantes para "unir o povo que andava de costas voltadas".

As Festas do Povo são o maior cartão-de-visita de Campo Maior, e consistem na decoração de dezenas de ruas, com milhares de flores coloridas em papel, criadas pela imaginação e criatividade da população.

A última edição mobilizou 7.500 voluntários, que ajudaram a decorar 99 ruas numa extensão de cerca de 10 quilómetros.

De origem secular, as Festas do Povo só se realizam quando a população da vila quer e são reconhecidas internacionalmente pela sua "originalidade e cariz popular".