foto1.pngfoto3.jpgfoto4.pngfoto6.jpg

 Rádio Portalegre A Mais Ouvida do Alentejo - 32 Anos ao Serviço da Região

A Final da Supertaça Distrital em futebol joga-se este Sábado na sua Rádio a partir das 18h

“Guardiões” mobilizam o Alentejo para o combate às alterações climáticas

Pode ser uma imagem de 5 pessoas e pessoas em pé

O projeto Guardiões vai investir mais de dois milhões de euros para transformar o Alentejo no centro da discussão em torno de soluções que respondam à ameaça das alterações climáticas.

 

Nos próximos 22 meses, uma equipa multidisciplinar vai dedicar-se a este trabalho, em toda a região Alentejo, com ações de educação ambiental, conferências, formação e informação, que promovam a sustentabilidade e boas práticas, que possam ser incorporadas na estratégia de desenvolvimento regional do Alentejo.

Em declarações à Rádio Portalegre, Jorge Martins, gestor do projeto, disse que o Guardiões tem um objetivo civilizacional, que deverá traduzir-se em ações concretas fulcrais para a sobrevivência dos ecossistemas e da economia.

Jorge Martins explicou que o projeto vai envolver agrupamentos de escolas, autarquias, comunidades intermunicipais, associações juvenis e empresas de todo o território.

O projeto “Guardiões” é promovido pelo Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), mediante acordo de parceria com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA) e com o Fórum da Energia e Clima (FEC).

Com um financiamento global de aproximadamente 2,4 milhões de euros, o projeto “Guardiões” tem como objetivos promover a compreensão do fenómeno das alterações climáticas e potenciar o desenvolvimento das melhores soluções aplicáveis à região do Alentejo, capazes de contribuir para o aumento da resiliência aos impactes decorrentes das alterações climáticas.

Durante a execução do projeto, este território funcionará como laboratório vivo e banco de ensaio das medidas preconizadas.

Para estes desígnios, será constituída uma equipa de trabalho multidisciplinar, composta por especialistas em alterações climáticas e políticas ambientais, pedagogos, arquitetos, arquitetos paisagistas, engenheiros do ambiente, engenheiros informáticos, economistas, entre outros.

Uma das componentes do projeto é a sensibilização da sociedade civil para a temática das alterações climáticas.

Com esta finalidade está previsto um conjunto de ações, entre as quais a realização de conferências de abrangência global, com a intervenção de especialistas nacionais e internacionais.